Marina W
31.8.03
Domingo de noite Não foi para receber mensagens carinhosas que escrevi o texto abaixo. Não me agrada a idéia de me fazer de vítima e esperar repercutir. Escrevi aquele post para mostrar que depressão é apenas mais uma doença o qual o nosso corpo está sujeito e não deve ser escondida, porque não é pecado nem crime. Mas claro que acabei recebendo emails lindos, de pessoas que passaram ou não por isso, e que me escreveram coisas muito queridas. Isso me lembrou imediatamente uma frase que meu vizinho gosta de repetir: Tudo que o dinheiro pode comprar é barato.

Obrigada mesmo, estou por aqui, ora caidinha, ora bem, mas vivíssima :)

30.8.03


Esperando o sol Saudade da minha gripe, afinal o que há de mais em viver espirrando, sentir frio e moleza no corpo? Não queria acreditar que havia algo mais do que isso: minha serotonina está na altura do calcanhar. Isso para resumir o babado. Quem lê o meu blog há um tempo, sabe que não é a primeira vez que a depressão puxa meu tapete. O certo seria eu me resguardar, me ausentar sem dizer pq, ficar na minha e quando o Efexor estiver acumulado no meu corpo, eu voltar, feliz outra vez, falando das coisas legais que eu tenho feito, lido, visto, essas histórias. Mas, ao mesmo tempo que eu gostaria de não tornar público meu desconforto, eu sinto que tenho uma certa obrigação de dizer que sim, estou com depressão.

Parênteses: Pedro Bial declarou no programa da M Gabriela que toma Efexor todos os dias. Ele é um cara que pode ser considerado muito bem sucedido. Está na hora de você rever os seus conceitos. Eu também. Ou você acha que muito me honra ter uma doença emocional e que eu tenho uma camiseta estampada "Eu tenho depressão química"? Eu tb sinto vergonha. Depressão é muito bom quando quando já passou, quando você pode contar aqueles detalhes terríveis e usar um ar de heroína, "eu suportei tudo e estou aqui, forte". Mas durante é terrível. É terrível ter um problema que pode te confundir com alguém fraco ou intelectualmente incapaz

Passo as manhãs deitada, sem poder me levantar, sem ter como me alimentar e levo sustos horríveis quando o telefone toca, seu som é diabolicamente estridente. Nem sempre tenho forças para me levantar e atender e vontade não tenho nenhuma. Gostaria muito que meus amigos queridos evitassem me procurar pq viro a Sra. Sem Assunto. Se quero contar uma história que aconteceu, acabo desistindo. Provavelmente esquecerei o meio ou o final. Meus pensamentos ficam fragmentados e só penso no meu próprio umbigo. Se vejo um filme não consigo prestar atenção no enredo, fico pensando "quando será que isso tudo vai passar?".

Estou na minha, a felicidade se resume em ler os autores que eu gosto, ouvir o silêncio, esperar passar.

Ninguém tem vergonha de dizer que tem diabete mas quando se trata de doenças emocionais existe um pudor muito grande. Por isso resolvi escrever este post. Esse preconceito precisa acabar. Sou uma pessoa feliz, que tem uma vida feliz, tudo me diverte. Não sou cavernosa nem pessimista. E no entanto, estou emocionalmente de cama. Acontecem nas melhores famílias, você sabia?

Nem vou citar os que dizem que um bom tanque de roupa é o melhor remédio. É este tipo de ignorância que ajuda o preconceito.

Ninguém sussurra para o vizinho "Fulano está com asma". Mas a palavra depressão é sempre dita baixinho e com um monte de significados que ficam no ar, "coitadinha". Sim, coitadinha de mim, que não sinto vontade de fazer as coisas que mais gosto, que tenho dispensado convites irrecusáveis por falta de ânimo, que não sinto estímulo para fazer coisas que normalmente me deixam tão animada, como ficar conversando com os meus amigos. Energia não tenho e quando ela aparece, por volta do fim da tarde, aproveito para cuidar da casa, fazer comida, lavar a roupa, arrumar a casa. Quando posso. Mesmo estando fisicamente exausta a idéia de ter de novo uma empregada não é coisa que me atraia.

Li uma matéria com a linda Luciana Vendramini, onde ela conta seus dias de horror, quando foi vítima de Transtorno Obsessivo Compulsivo, chegando a ser internada. São coisas terríveis que acontecem às pessoas bacanas.

Viver é muito perigoso mas é bom. Logo vou estar boa e poder colocar minha vida em dia. Minha vida que eu gosto tanto e me dá tanto prazer. Só preciso ser humilde e paciente para passar por esse momento mais uma vez. Vou aproveitar que estou de pé e organizar a casa. Sou centralizadora e infelizmente ela só funciona se coordenada por mim.

Dói menos quando penso que logo vai passar, que a vida é assim, cada um com seu fardo, seus problemas. Me sinto melhor escrevendo aqui do que me escondendo dos amigos, inventando desculpas. Ninguém quer ter depressão, não há espaço no mundo pra ela. Os meios de comunicação nos empurram o tempo todo imagens de pessoas jovens, felizes, radiantes. Porque a cerveja é a certa, o celular manda torpedos, o silicone ficou melhor que a encomenda. Ninguém quer destoar desse embalo. Pois eu estou destoando sim. E muito orgulhosa por poder falar isso.

Alegre ou triste, vou estarei sempre por aqui.

Quero mandar um beijo para L.C. que me manda emails tão lindos e que não tenho tido chance de responder :)


28.8.03


Tom


Felicidade é saber que a primavera está chegando. Hoje choveu tanto e, mesmo de molho, fiz mercardo, comida gostosa e aqueles outros afazeres osso duro de roer. E. veio me visitar e conversamos bastante; fiz mais ouvir - a gripe não deixa a gente meio oca? Festinha na Travessa mas e essa chuva que nunca pára? Muitas crônicas do Nelson Rodrigues nos intervalos, leio e releio, genial é pouco.

W. ligou, decepcionado pq as meninas Aline e Paula amarelaram no Video Music Brasil. Mas li na Folha que a TV Globo que embarrerou o beijo das atrizes na MTV.

Meu outlook deu pane, estou sem poder responder os emails, fica para depois. Fofos.



Sabe o que o chão falou para a cama?

Tuas pernas são finas mas você tem o maior coxão.

Hohoho.

De cama, gripadona.

25.8.03
Noite de Autógrafos Mais um motivo pra aparecer na Livraria da Travessa essa semana: Joaquim Ferreira do Santos lança seu livro de contos O que as Mulheres Procuram na Bolsa, quinta, 28, a partir das sete e meia da noite. Tooodo mundo lá, claro.


Madonna (sempre ela, Dona Marina?), na sua atual onda zen, pode vir a participar de O Alquimista no cinema. Dizem. Por falar nisso, o site brasileiro da cantora foi reformulado e traz agora o dicionário Madônnico, com curiosidades de A a Z.


duas e meia da tarde O tempo que fiquei sem computador, nada de especial aconteceu. Peguei uma gripe. Cat Moss ficou totalmente boa. Assistimos I'm Sam, na HBO. Estou lendo Otto L.. As coisas caminham, tudo em ordem mas nada muito excitante para contar aqui. Mil coisas pra fazer, preguiça de dar jeito em tudo. Ameaça de chuva, vou sair, venta tanto que se vocês olharem para o céu e algo lembrar Mary Poppins, sou eu :)

Cheguei, baixei, saravei.

21.8.03
Não se perca de mim, não se esqueça de mim, não desapareça...

Oi, meu bem. Meu computador vai para o conserto e quando ele voltar, eu volto também :)

19.8.03


Walter Matthau & Ingrid Bergman, Cactus Flower


Que gracinha são os felinos! Comprimido diluído na água, com seringa. Comprimido enfiado goela abaixo, na marra. Comprimido enrolado em presunto. Cada dia tento de uma maneira e o resultado tem sido o mesmo: de tão arranhada, parece que estive metida numa jaula de leões famintos. Pff.

18.8.03
A boa O primeiro cronista: Pero Vaz Caminha. Conto ou Crônica? A arte da crônica. Rio de Janeiro, cidade da crônica. Cronista, "o historiador de coisas miúdas", na definição de Machado de Assis. Alguns cronistas fundamentais, de João do Rio a Rubem Braga, de Nelson Rodrigues a Luís Fernando Veríssimo. O espaço da crônica hoje. Criação de textos e análise crítica da produção dos alunos.

Se você gosta de escrever não pode deixar de assistir o curso do jornalista Mauro Ventura, Introdução à Crônica, que começa amanhã, às três da tarde, na Estação das Letras, no Flamengo. Mais informações: 3237-3947.


Segunda, nove e quarenta Minha casa de repente se transformou numa mini-clínica de gatos, todas tomando remédios com hora marcada. Como dar comprimido para um gato? Ligo para a C.M:

"Claudia, pelo amor de Deus, como dar comprimido pros gatos?"
"Vou te mandar um email que explica ahahahahaha".

Deus do Céu. Quando você jura que o gato engoliu, não, ele apenas fingiu engolir. Além disso tenho que fazer roupinhas para a Cat, para cobrir os curativos. Fiz três que foram para a lixeira. Sou super monga quando se trata de trabalhos manuais. Também preciso cuidar das minhas coisas, os trabalhos ganham volume, a casa pede mais cuidados. Vou trocar o Google por caminhadas na Lagoa, preciso emagrecer dois quilos. Preciso ir ao médico de ouvido e também ver meu joelho que dói - obrigações que vão passando de uma página da agenda para a outra. Resumindo, vou usar menos a internet. Venho sempre que tiver alguma coisa interessante para contar, o que não é o caso, no momento. Preciso de mais tempo para colocar minha vida em dia.

Fora que o meu computador não coopera: está uma bomba.

Amanhã vou tentar colocar as respostas no Multi-uso e responder os emails :)


16.8.03
dez e meia da noite, sábado Hoje fui num churrasco-túnel-do-tempo, a vida passa tão rápido. "A gente sempre ouviu isso, que a vida passa rápido, passa mesmo, está passando", disse meu primeiro namorado, que ainda continua super bonito e não é dado a lamentações. Cantei Tigreza com a minha irmã no karaokê e tiramos nota 62. Muito beijo, muito abraço. Muitas emoções, bicho.

Pegamos Cat Moss e trouxemos pra casa. Fiz caminha, colchinha, lençol. Sou como a Lilica, do Tiny Toon, sufoco os animais - então uma doentinha é um prato cheio pra mim. Chove desesperadamente e ainda tenho que ir a uma festa, aniversário da Andréa. Mas S. bebeu todas, tomou banho, "vou deitar só um pouco, antes de irmos". Sei.


California. 1943. Rita Hayworth. Foto de Philippe Halsman


A Natália do Valle é um bálsamo na novela das oito, que está chata, E.R.

Li em algum lugar que a personagem da H. Ranaldi não causa emoção no público, que não sente pena ao vê-la apanhar do marido. O romance com o rapaz também não causa frisson. Será que é porque ela é péééssima atriz?

Ouro É chato quando toda a casa está na mesma onda, menos você: jogos do Pan. Gritam, dão notícias toda hora "Xuxa acaba de ganhar o 50 metros. Vin-te e dois se-gun-dos. Menos que um comercial!". Não estou nem aí mas fico feliz com as medalhas e por saber que estamos na frente do Canadá :)


Sexta Almocei com Leandra, no Da Silva. Papos ótimos, top secret. Depois fomos na Contemporânea, 50% de desconto em três vezes no cartão. Comprei uma camisa lacoste branca e um blusa que só poderei usar caso emagreça dois quilos. Fui fazer as unhas e encontrei Helena. Sente: chegou hoje de Paris, 40 Graus, praias artificiais em torno do Sena. Como se não bastasse ela estava andando de bicicleta com Verdi e viu o Bruce Willis pedalando sem camisa. Disse que ele é lin-do. Sortuda, viu?

15.8.03
Doçura Hoje sonhei que tinha decapitado minha gata.



14.8.03
Qualé, Lula? Como é essa história dos 30 roupões e dos quilos e quilos de Sonho de Valsa? O presidente deveria fazer um comunicado a nação explicando o pq dessa lista exótica.

"There ’s a special providence in the fall of a sparrow. If it be now, ’t is not to come; if it be not to come, it will be now; if it be not now, yet it will come: the readiness is all." Hamlet, Ato V, cena 2

Obrigada, Lelê.



17h25m Cat Moss prestes a receber alta. Na Angela tropecei nas palavras. Me lembrei do livro do F. Sabino, O Gato Sou Eu. O camarada sonha com um gato e diz para o analista "Acho que o gato sou eu". O psicanalista corrige "O gato sou eu" e fica essa lenga-lenga.

No meio da tarde, desci para a piscina, de biquini e roupão, com os jornais. Na Ilustrada vi uma foto da Patricia Melo autografando seu livro, com o John Neschling do lado. Ele tem mesmo cara de maestro. Me lembro de ter estado com ele, mais jovem, quando era casado com a Lucélia S. e moravam numa casa na Barra, cheia de beagles. O tempo dá charme aos homens e aniquila as mulheres (Não estou falando da sua ex, que vi de biquini na Caras e está muito bem para 46). Terminei Valsa Negra, gostei bastante. Muito difícil sentar sob o sol e relaxar mas já tinha feito tanta coisa, comida, camas, limpeza, tudo, e decidi que relaxaria na marra. Maciel veio aqui em casa, conversamos sobre seus gatos, Fred Astaire, Shana, Lancelot e Shirley MacLaine.

Pegar sol me acalmou.

Jeca, incompetente e irresponsável, a governadora do Rio mais uma vez na contramão da história.

13.8.03


melindre da língua
fetiche do meu verso que aflora
minha finesse que finda
minha tendresse que míngua
minha fissura que implora


Ledusha Spinardi


agenda Dia 29, sete da noite, GNT, programa sobre o Richard Gere.

23:20 Samuel L. Jackson no Dave Letterman, pra falar sobre SWAT. Eu vi Shaft, que considero a mesma coisa. Assistimos no Bardot, claro e evidente, porque meu nível de exigência vai a zero. Explosão de carro, tiros. Não suporto filmes de ação.

Tem coisa melhor na vida do que irmão mais velho?

Aliás, que coincidência, eu ia escrever sobre isso. De como eu preciso do sol, quimicamente falando.


Circuitão Hoje de manhã me senti um pouco angustiada do nada, foi chato. No início da tarde coloquei moleton de ginástica e casaco para neve para fazer RPG mas fazia um sol bem quente na rua. Cat já saiu do soro. Perambulei no Humaitá, fui no florista. Quanto custa o maço de girassóis? O português não respondeu, então fui embora. Na papelaria perguntei a moça se eles tinham cd virgem. Ela não me deu atenção. Achei que talvez eu pudesse estar invisível e curti a idéia. Ouvi Rod Stewart, li Valsa Negra e vou ver a novela das 8, contrariando meus princípios, só queria voltar a assistir depois da Fernanda morta e enterrada. Depois vou ver Saia Justa e Dave Letterman. Se der sorte, pego um South Park. Hoje sofá + pijamão + meias + edredon cai super bem.

Meu estado de espírito hoje



Fama Li ontem na Monica Bérgamo que o FHC mereceu 17 linhas no livro de memórias da H. Clinton e o grupo Olodum da Bahia, dezoito. O presidente não deve ter gostado nada nada disso.

Filmes Saiu na Isto É que o filme predileto dos presidentes americanos é Matar ou Morrer. Bill Clintou viu 20 vezes. Eisenhower, três. O filme predileto do Bush é O Resgate do Soldado Ryan. Jimmy Carter foi o presidente mais cinéfilo dos Estados Unidos: assistiu 580 filmes enquanto morou na Casa Branca.

Alguém pode me dizer que frio é esse?

Medos Não aguento essas pessoas que, perguntadas do que têm medo, respondem: Tenho medo de ter medo. Peralá.

Além dos que não são citáveis porque até mencioná-los tenho medo e os básicos (que caia alguma coisa em cima da minha cabeça em Copacabana), tenho vários outros menores. Tenho medo da Salete L., a jornalista do B. Casoy, por exemplo. Se ela vira pra mim e diz "Me fala o segredo do cofre", eu falo na hora. Tenho medo da voz do Cid Moreira - mas isso eu acho que todo mundo tem, né? Tenho medo do Ronald MacDonalds e de todos os outros palhaços. Cobras. De carrossel, ciganas, bonecas de louça, crianças muito brancas de camisolão, bonecos de ventríloquo e de entrar dentro da tenda da mulher gorila. Será que sou só eu, Meu Deus?

Devo colocar tb Marília Gabriela entrevista na minha lista dos programas da tevê. Ontem foram Dan S. e M. Benício. O ator de Mulheres Apaixonadas levou várias frases no colete para o final do programa, quando a apresentadora pede para a pessoa dizer uma frase, pensamento etc.

Uma coisa que eu não entendo é isso. Sempre que eu vejo, a pessoa fala "Frase? Ai...falar uma frase? Não sei...". Será que essas pessoas nunca assistem o programa?


"Bush, o filho, ainda há de entrar para a história como o presidente que – entre outras tantas coisas – proibiu o uso de email na alta cúpula do Executivo por temer vazamentos, voluntários ou involuntários".

O blog na corrida presidencial.


Whippet, Nova York (2001)


Correspondência eletrônica

Marina,

a ditadura do corpo é basicamente uma obrigatoriedade em todas as sociedades ocidentais, infelizmente. Eu conversava dia desses com um grupo de amigos e comentávamos essa coisa de malhação-bombação para homens e corpos-de-modelo para mulheres. A triste unanimidade é que todos concordamos que o fenômeno só faz se ampliar. E que aumentaram as razões para a tristeza humana (que já não são poucas). Agora, sofre-se com uma calça que "não entrou do jeito que entrava", com a impossibilidade de plugar uma webcam no micro, com o simples programa tomar-uma-banana-split ou chope-com-pizza, sem ter que enfrentar um festival de saladas no dia seguinte. E tome barra de cereais. Ninguém merece.

Gilberto S.

12.8.03
Eu amo o Blogger.

Olimpíadas Ver tamanho da foto e endereço. RPG. Garrafinha do Zé. Aniversário de A.. Almoço com Glória. Saia justa sem nesga. Ata-me. Ser mãe é ter o coração do lado de fora, uma coisa assim, essa frase é ótima, é da Marília. Stela T. Dia 25: l'argent. Quinta, Angela. Antibióticos para gatas, urgente. Richard's. Preço de mini-cd. Pode gravar em gravador de cds comum? Assessor do Faustão. Melhor invenção: aspirador de pó. Ligar para Aninha sábado tipo onze. Churrasco da Diva. Angela volta na quinta. Presentes na quinta. Aula de inglês.Tirar comida do freezer antes de dormir. Visitar Cat. Marcar otorrino, urgente. Ligar sebinho da Graça. Ligar C. Deixar envelope na portaria. Óleo de massagem. Enviar ata. Terminar links. Ligar Meire URGENTE. 21:30 Dan S. na Marília Gabriela. Lágrimas grossas. Reunião. Dar remédio gatas. Viagem Clarinha. Perfil para Ju. Summertime. Valsa Negra. Toblerone. Viagem dia 29. Procurar marcadores. Devolver Charlie Bown da Andréa. Segundas e quartas - futebol. Advantage. Ligar Sabrina. Como é mesmo aquela frase linda do Hamlet que o Dan S. falou? Joelho destroncado - bolsa de água quente. Porcentagens. Jantar em familia. Quanto tempo dura esse Pan? Mini-currículo. Ver preço papel adesivo. Síntese para o dia 26. Saber de Vitório.

compromissos Os dias terminam mas a agenda de uma mulher não acaba nunca.

Entre outras Cometi um erro gravíssimo.

23:10 Que dia cheio!

Mais uma vez o óbvio Uma amiga me liga, está triste. É bonita, charmosa, inteligente mas também dona de um pecado gravíssimo: está oito quilos acima do seu peso. Ela reclama, está tomando bolinhas, evitando pizzas e chope, não tem tempo para malhar. Eu já escrevi uma vez sobre isso e não é nada original, eu sei. Mas uma sociedade onde as pessoas buscam o corpo perfeito como meta é uma sociedade extremamente atrasada. E cafona.


Ajudante de Papai Noel


11.8.03
Convite-instalação Esse pessoal que faz artes gráficas, não sei muito bem como chama, são geniais. Hoje S. recebeu um convite sensacional. Veio dentro de uma caixa preta fosca, linda, mais ou menos 17 x 12, escrito com uma letra pequenininha e branca: No dia 10 de setembro de 2003, as atenções estarão voltadas para você. Abrindo, tem uma foto p&b de vários fotógrafos juntos com seus flashes (de verdade) espocando em você.


as frases do Nelson II

De vez em quando penso que 1927 é um ano que nunca existiu. Pois foi em 1927 que ocorreu um episódio realmente curioso. Minha família estava procurando um novo jardineiro. E um dia apareceu um, mandado não sei por quem. Era um português para substituir outro português. Um velho, ainda rijo, com o olho espantosamente azul. Minha mãe combinou: - "O senhor começa sábado".
Começar no sábado. O velho ficou um instante mudo, meio alado. Vira-se e fala: "O sábado é uma ilusão". E assim se despediu. Mas aquilo ficou cravado em mim, para sempre. Já me aconteceu não sei quantas vezes, repetir no meio de uma conversa "O sábado é uma ilusão". Os presentes acham uma graça infinita. E ninguém imagina que é um eco nostálgico e obsessivo.

(Nelson Rodrigues, trecho de O Reacionário, 1969)

Top ten

Os Simpsons
Mary Tyler Moore
Friends
Os Normais
South Park
Actors Studio
Biografia
Seinfeld
Dave Letterman
Luluzinha


Nosso jeitinho de ser O Brasil é o país da esculhambação mesmo, não adianta, é o nosso jeito. O presidente decretou três dias de luto, marcou churrasco e pelada.

Francisco é grau cinco do Bush.







Vamos mudar a pergunta do Multi-uso.

Se você tivesse uma emissora de tevê, quais os dez programas que fariam parte da programação?

Domingo passei o dia inteiro como um lagarto numa pedra.

9.8.03


"A felicidade odeia os tímidos". Eugene O'Neil

Sábado on ice Fui com F. ao centro da cidade de metrô, onde compramos um gravador de cds. Custou 210 reais no cartão, na loja do lado custava trezentos. Depois fui na Cat levar ração pediátrica. Ela esá melhorzinha. Marília trouxe pão de lingüiça, que devoramos rapidamente. Frio. Vou para debaixo das cobertas assistir Summertime, do David Lean, que A. me emprestou.

Ainda o Nelsão - sobre Onassis Um dia seus assessores para pintura compraram um galo de Picasso. Onassis olhou o galo e perguntou: - "bom?". Resposta: -"Formidável". Disse: - "Ponham no galinheiro". Os outros, aterrrados, ponderaram que se tratava de uma obra-prima. Onassis começou a perder a paciência: - "Não é galo? Então ponham no galinheiro". O que foi feito.

8.8.03


As frases do Nelson I

Sou o colunista que se repete com um límpido impudor. Não tenho o menor escrúpulo em usar duzentas vezes a mesma metáfora. Eis o que me pergunto: - por que não insistir na imagem bem-sucedida? Certa vez, vou passando pela porta do cinema Rex. Súbito, ouço o grito triunfal: - “Óbvio ululante!”. Viro-me e vejo, na outra calçada, um lavador de automóvel. Passando a estopa no para-lama, berra, outra vez: - “Óbvio ululante!”. Faço-lhe um gesto amigo. E o outro pergunta: - “A pronúncia está certa?”. Atravessei a rua para cumprimentar o meu leitor. Dei-lhe a minha palavra: - “A pronúncia está certíssima”.

(Nelson Rodrigues, trecho de O Reacionário, 1969)


Ana L., da ong Refazer, pede para avisar que amanhã tem bazar com altas roupas, no Pavilhão Japonês, Parque do Flamengo, das 9 às 5 da tarde.

Meu tu não sabe o que aconteceu os caras do Charlie Brown invadiram a internet!


19:30 Lendo o livro de P.M. a conta-gotas, pra economizar, muito bom. S. trouxe Copos de Leite. Ele está vendo o basquete feminino. Vou dizer uma coisa aqui: tenho hor-ror a ver esporte pela televisão. Basquete, natação, vôlei, futebol, essas coisas todas. Lembrei agora da moça campeã que disse para o humorista: gosto da mesma fruta que você. Abafa.

Só gosto de ver surfe e skate e olhe lá.

Comprei presente para S. e também tangerinas e bananas. De manhã choveu mas no início da tarde já tinha sol. Beijos para Nelson & Ana, Santo Mário, Rique, Carlos Duek. Mais: Luciana, Gabriel Silveira, Lelê, Cobalto, Antonio Agenor,Gilberto Scofield Jr. , Geraldo, Ledu, Janaína, Marcus Cardoso. Karime, Luiz Fernando, André, Renato S., Diego, Mi e Karime.

Quando eu era pequena sempre prestava uma atenção nos sorteios na tevê, quando aquelas moças jogavam as cartas pra cima. Eu achava que não precisava escrever, que todas as pessoas do mundo estavam participando. Hehe.

Dez da manhã fui ver Amarelo Manga, de Claudio Assis, na cabine do Unibanco. Festival de mazelas. Jonas Bloch gosta de fazer coisas estranhas com pessoas mortas; uma mulher arranca a orelha da outra a dentadas. Nas partes do frigorífico mantive os olhos fechados.

Digamos que não tenha sido a melhor maneira de começar o dia.

7.8.03

Jason Brooks

Shakespeare

Parece abril, com seus incertos dias,
o amor primaveril, sempre mutável,
que ora o sol patenteia, resplandecente,
ora em nuvem se esconte, impenetrável.
(Os dois Cavaleiros de Verona)

Por onde tu te encontras, o universo todo está.
(Henrique VI)


Ai, não, bichinhos de luz!

Cinco e vinte da tarde

R.I.P. Eu não sei se na televisão está passando a morte do Dr. Roberto ao vivo. Capaz, como fizeram com a filha sequestrada do Silvio Santos, passo a passo, com o discurso do apresentador no final, na sacada da sua casa. Tudo é Truman. Eu também gosto de ver, sou humana, mas estou sem paciência de ver tevê.

No banho, me lembrei de um dia, quando Roberto Marinho deu quinhentos reais para cada funcionário da emissora, dos porteiros aos diretores. Era dinheiro à beça. Não foi para comemorar os 500 anos do Brasil, foi outra coisa, muito anterior, alguma data importante. Regina V. foi lá em cima, na sala dele, agradecer. Ela estava na pior e foi lá, dizer obrigado. Hohoho. Nós sempre rimos muito quando lembramos dessa história, bebendo cerveja. Ouvi alguém dizer que estava muito triste e eu entendo. A pessoa fica triste por não poder mais estar junto de quem gosta. Mas quem dera que todo mundo pudesse morrer com essa idade. Ele tinha 98 anos e teve uma vida movimentada e vitoriosa. Fez coisas boas, outras nem tanto. Ouvi depoimentos idênticos do Antonio Carlos Magalhães e de um intelectual da esquerda, sobre o morto. O ministro Palocci ressaltou-lhe o espírito democrático, esquecendo o episódio das Diretas. Ora, vamos combinar que a TV Globo manipulou as eleições Collor x Lula, então democrata não é um bom adjetivo. Ele foi um grande empresário, um homem de visão, um magnata. Uma pessoa que contribuiu muito com o país, preservou patrimônios, um empreendedor. Mas é justo que as desavenças ficam para outro dia. Deve-se respeitar a morte, é o mínimo. E a história o absolverá.

Mesmo que não se goste do empresário, por motivos políticos, acho que todo mundo sente uma coisa meio estranha, talvez porque ele tenha sido um homem muito poderoso. "O chefão se foi, não é?", disse o zelador do meu prédio, enquanto esperávamos o elevador. O sentimento é como se tivesse morrido um presidente da república. Fora que todos nós crescemos com o som da TV Globo por trás. Desenhos animados (tenho amigas muito jovens que foram criadas à base de Xuxa) novelas, Jornal Nacional, programas de auditório. Etc.

Estou escrevendo cada vez mais cafonamente.

Na verdade, nosso Cidadão Kane foi o Chatô, não é? Ele era mais doidão.

icq

bete: (3:46 PM) Deus vai perguntar pra ele:
-Esqueceu de alguma coisa?
e ele:
-Sim, o Cid Moreira...

rs.





To be or not to be... That's the fashion!

Quinta-feira,

Querido diário,

hoje acordei bem cedo e passei aspirador, fiz as camas, coloquei a roupa na máquina e depois no varal, deixei comida em cima do fogão e saí.

Cat Moss está pele e osso e vira o rosto para a parede de ladrilhos da jaulinha - onde coloquei um santinho de S. Francisco de Assis, com durex- quando brinco com ela. C.M. diz que ela pensa que somos culpados por ela estar ali. Raciocínio da gata: nós que deixamos ela lá, nós somos os culpados. Mesmo assim fez aquele motorzinho quando fiz carinho debaixo do seu queixo. Depois fui a Ipanema, Lojas Americanas (dez vezes sem juros no cartão - promoção), comprei panelas e meias escolares. Ganhei (milagre!) um presente da Folha. Assino 4 jornais e nunca ganhei na-da. Sempre que precisa renovar eles não estão em época de brindes. Ou me oferecem revistas que já tenho. Pois ontem quase rasguei a correspondência sem olhar (spam de papel), como faço direto, mas resolvi abrir. Era a Folha. Também disse a eles que não vou renovar sem brinde.

"Vocês não estão dando DVD, televisão, casa, enciclopédia, nada?"
"Nunca oferecemos casas, senhora".

Então me mandaram uma cartinha dizendo que eu fosse na Kopenhagen mais próxima e pegasse uma caixa de bombom. Então passei lá, depois na Travessa (A Valsa Negra - dedicado a J.N..É sobre o ciúme obsessivo de um maestro por sua mulher, bem mais jovem. É dedicado a um tal J.N.. A autora está namorando o John Neschling, dizem). Capa do Bux, linda como sempre. Comecei a ler no táxi, já me prendeu, gosto do jeito que ela escreve. Vi o Affonso Romano e a Marina Colassanti de braços dados e apressados, estavam indo para o Cosme Velho, foi o que pensei.

Fiz duas entrevistas, terminei o relatório (menos lista de links) e dei telefonemas. Vou caminhar na Lagoa.


6.8.03
22:45 Morreu Roberto Marinho, presidente das Organizações Globo.

Às vezes levanto de madrugada, com sede,
flocos de sonho pregados na minha roupa,
vou olhar os meninos nas suas camas.
O que nestas horas mais sei é: morre-se.
(...)
A menina que durante o dia desejou um vestido
está dormindo esquecida e isto é triste demais
porque ela falou comigo: "Acho que fica melhor com babado"
e riu meio sorriso, embaraçada por tamanha alegria.
Como é possível que a nós, mortais, se aumente o brilho nos olhos
porque o vestido é azul e tem um laço?
Eu bebo a água e é uma água amarga
e acho o sexo frágil, mesmo o sexo do homem.

Adélia P.




de repente
me lembro do verde
da cor verde
a mais verde que existe
a cor mais alegre
a cor mais triste
o verde que vestes
o verde que vestiste
o dia em que eu te vi
o dia em que me viste

de repente
vendi meus filhos
a uma família americana
eles têm carro
eles têm grana
eles têm casa
a grama é bacana
só assim eles podem voltar
e pegar um sol em copacabana

paulo leminski



quarta, duas da tarde - Ventania Saí cedo para fazer exames, ir ao médico e visitar Cat. Felicidade é seus exames estarem ok. Se o tempo estivesse nublado seria uma manhã chata, cheia de horários. Mas o sol estava tão lindo que coloquei minha saia de estudante francesa, camiseta de português sem mangas e sandálias rentes. Fui no Baratos da Ribeiro e na Modern Sounds. Eu podia caminhar por Copacabana inteira vendo as lojas, se não tivesse compromissos - telefonemas mil + relatório. O vento varreu a casa inteira, renovando os ares.

"O sexo é uma ilusão esgotada"

Larguei tudo e voltei para as memórias e confissões de Nelson, o Reacionário.

5.8.03
Homework

To boil down
over cast
even



Levei três tombos ontem e quebrei um prato hoje. Dei uma gafe horrível com o rapaz bonito. A cozinheira cozinha. O sol está lindo. Blog é Show de Truman. Daqui a pouco tem aula de inglês e depois vamos ver a gata.

Quando uma pessoa não tem nada para escrever não é melhor ela não escrever nada?

3.8.03
Ai que saudade que eu tenho da aurora da minha vida...

A aurora da nossa vida é agora.

Ipanema, meu amor


Eu não conheci Ipanema quando as pessoas sentavam no meio-fio e tocavam bossa nova. Nem, dez anos depois, frequentava as Dunas da Gal.

Quando eu era criança minha mãe me levava num desses bares mas eu era muito pequena mesmo. Ela não tinha com quem me deixar (eu acho certo mãe carregar filho para qualquer lugar que seja). A Ipanema que eu conheço é ensolarada e cheia de charme, cafés, lojinhas, feira-livre, livrarias e um cruzamento com o chão pintado de vermelho e azul, que eu adoro. Mas sei que nada se compara ao bairro nos seus dias de glória. Carlos Leonam e Ana Maria Badaró fizeram uma lista para a revista Carta Capital, do que será impossível resgatar em Ipanema, que vou colocar, por alto, aqui. Dedico este post a C., que conheceu os bons tempos e muitos anos depois, sentou sem querer na cadeira do Tom, no Plataforma. Pisc*.

Mergulhos do Saramangue (a pedra-trampolim) da ponta do Arpoador, lugar onde eram catados os mexilhões deliciosos. E onde, de quando em quando, apreciavam-se as evoluções de arraias-jamantas (possivelmente o nome da Praia do Diabo, logo ao lado, veio daí, já que essa arraia é também chamada de peixe-diabo).

O vira-lata Malhado (mascote do bairro) e o coelho do Jangadeiros, que fazia os bebuns, ao vê-lo correndo entre as mesas, acreditarem estar com delirium tremens.

O croquete de carne do pé-sujo Mau Cheiro, na esquina da Rainha Elisabeth com a Vieira Souto, então o único banheiro da praia, daí o nome.

O chope bem tirado do Zeppelin e o uísque chorado do Calypso, vizinhos de parede e freqüentado por boêmios rivais.

As tiras em quadrinhos dos Chopnics, com as aventuras do Capitão Ipanema, de Jaguar e Ivan Lessa.

Os sorvetes de frutas do Moraes que hoje deixariam os do Mil Frutas no chinelo. Além de serem bem mais baratos.

Os cines Ipanema, Pirajá, Astória e Pax, que viram muito namoro começar no escurinho de suas salas.

A maminha de alcatra da churrascaria Carreta. A turma do Jangadeiros, berço da Banda.

As saídas da Banda de Ipanema original, absolutamente familiar e onde todos se conheciam.

As reuniões na casa do Aníbal Machado, as do Brandão, os papos sem fim no apartamento do Rubem Braga e a feijoada no conjugado do Hugo Bidet.

O Antonio’s e o Mário, que ficavam no Leblon e eram absolutamente ipanemenhos, inclusive por sua clientela festiva.


A verdade é que a lembrança tornam as coisas ainda mais deslumbrantes. Meu filho disse que tem pena das crianças de hoje em dia porque elas assistem Pokemon em vez de He-man. Um homem de cinquenta anos tem pena do meu filho porque ele não assistiu Nacional Kid. O passado coloca chantilly em cima das nossas coisas. Um dia ainda vão escrever um livro chamado Ipanema 2000. Pra falar da Travessinha, dos surfistas, dos sucos na esquina da Maria Quitéria, da padaria Ipanema, da Dazibao, da Casa Alberto, da Letras & Expressões, do Sindicato do Chope e do Bofetada. As coisas são sempre lindas, porque realmente o que dá a elas a aura da perfeição é a saudade da juventude.


Domingo, dez da noite, New York New York A gatinha agora só depende do seu poder de recuperação. Marília canta no karaokê do apartamento debaixo. Hoje peguei sol na piscina e li os jornais. O livro sobre Nietzsche é bom mas não engatou, melhor seria trocá-lo pelo livro novo da Patricia Melo, sobre o ciúme. Queria escrever um post sobre uma história muito boa, que envolve um rapaz milionário, uma ruiva e um bandido mas sinto que não devo.

Quando as crianças eram pequenas e morávamos no Horto eu fazia muito karaokê na minha casa. Mas era diferente. Regina V. tinha um microfone daqueles de verdade e deixava lá direto. Existiam uns discos com músicas só tocadas e a gente cantava em cima. Século passado. Era divertidíssimo, no final todo mundo estava bêbado e mandava ver à capela mesmo.

lista

Elza, faxineira
terminar trabalho e enviar para A.
telefonar para I.
marcar Dr. Roberto (URGENTE)
marcar exame (URGENTE)
marcar RPG e acupuntura (URGENTE)
tentar dar remédio para as gatas
visitar Cat Moss
supermercado
passar roupa urgente
Nenhuma mensagem nova.

Minha vida anda super emocionante.


Domingo lindo Os cariocas sairam de casa pra pegar sol, eu fui uma. Cony também aproveitou pra dar sua caminhada na lagoa.



TV Pra quem ainda não viu, filmaço na TNT, dez da noite: Los Angeles, a cidade proibida. Juliane Moore é a atriz convidada do Actors Studio, hoje no Multishow, 11 da noite.

A diferença

Na coluna da Mônica Bérgamo, na Ilustrada, fotos de camarins dos atores de teatro. Gabriela Duarte precisa se perfumar e passar hidratante no corpo antes de entrar em cena. Camila Pitanga, de uma hora de concentração.

Paulo Autran, de um copo d'água.

Notícias de domingo

Dia 30 foi produzido o último Fusca. Ele é azul e sua placa indica a quantidade de unidades vendidas em todo o mundo ao longo de 70 anos de existência: 21.529.464. O último exemplar do fusquinha terá lugar de honra no museu da Volks em Wolfsburg, Alemanha

A crítica esculhambou Masked and anonymous, com Bob Dylan e Jessica Lange. No filme, Dylan canta em turco, japonês e italiano.

Ethan Hawke, ator e Sr. Uma Thurman, lançou seu segundo romance, que se chama Quarta-feira de cinzas: Existe algo mais assustador do que estar apaixonado? O livro deverá ser lançado também no Brasil.

Desde que o livro Abusado, de Caco Barcellos, foi lançado, pelo menos 6 personagens já foram mortos. Depois que Marcinho VP foi assassinado, o livro vendeu nove mil exemplares.

O caderno Mais!, da Folha, traz várias entrevistas com cineastas brasileiros com o título Meu Primeiro Filme. Hector Babenco conta que quando fez O Rei da Noite não sabia nada de cinema e muito menos de câmeras e se supreendeu quando o fotógrafo perguntou se ele queria trocar de lente. Sua inexperiência lhe valeu um "sabão muito elegante" de Marília Pera. "Você está muito aquém do que eu espero de um diretor. Você é muito jovem e ainda não sabe dirigir ator". Mais tarde ele aprendeu e os dois ganharam o mundo com Pixote.

Fernanda Lima fez a produção da fotonovela-sexy da próxima Playboy (capa, Regiane Alves), onde contracenará com o ator e cantor Seu Jorge, no morro da Mangueira, numa love story carioca. O texto é de Nirlando Beirão.

Ao que tudo indica, Benedita da Silva e Cristovam Buarque estão com os dias contados no Governo Lula.



"Até do Favre tenho que puxar o saco?"

"O Governo anterior criou até uma controladoria só para abafar escândalo"

"O Fernando Henrique teve um filho fora do casamento, mas escondeu, mandou pra Espanha com a mulher, senão teria perdido a eleição".


Muito barulho por nada Durante toda a semana os jornais deram um espaço extra large ao possível "mal estar" causado por A Flor do Meu Bem Querer, nova peça de Juca de Oliveira, onde o personagem principal faz comentários sobre a "vida íntima" do presidente Fernando Henrique Cardoso. Vamos combinar que é muito barulho pra pouco motivo. A polêmica rendeu também capa e oito páginas com Juca de Oliveira na Carta Capital, e uma entrevista nas páginas vermelhas da Época, onde ele nega que tenha usado informações de bastidor. "O curioso é que minha informação vem muito de cavoucar, do blog, das colunas. Eu leio todas".




2.8.03
O brasileiro é um feriado. Nelson Rodrigues



... Se não me disseres urgente repetido
Eu te amoamoamoamoamo,
verdade fulminante que acabas de desentranchar
eu me precipito no caos,
essa coleção de objetos de não-amor.

Drummond de Andrade



Depois da yoga e da cabala, Madonna acaba de lançar outra moda: tricô.

Todos querem a calça com o M bordado. Download do anúncio da Gap. Este site brasileiro sobre a Madonna é ótimo para os fãs, atualizadíssimo. A Madonna espirra em Los Angeles, eles dizem saúde aqui.

1.8.03
Agosto Andréa passou aqui no fim da tarde, com Fernando, Ingrid e Lucas. Fomos ver Cat Moss, que pareceu um pouco melhor, apesar do estado gravíssimo. Lanchamos juntos depois, milk shakes, sanduiches e tortas. Comprei flores amarelas e preparei banho de ervas: abre caminho, elevante, manjericão branco, quebra demanda, alecrim e vence demanda.

É brin-ca-dei-ra Quase meia-noite e o Matrix ainda não chegou no meu fax, na pilha em cima da mesa. Dois dias sem ver emails.




Catchy


Tudo é cafona, menos o amor. Essa é a verdade.

Cafona

quem dera estar passeando na beira do Sena
quem dera uma salada caesar do outback
quem dera sol, quarenta graus, em vez chuva, quem dera lareira e coisas cafonas.
Quem dera um café com um amigo, encasacada. Quem me dera a temporada completa de Friends ou de Seinfeld, numa tacada só. Um romance num navio, quarar roupas ao sol ou um telão para ver Indiana Jones e a Última cruzada sem nunca ter visto antes. Um Rubem Fonseca inédito + pijamão e alguém me trazendo uma bandeja na cama contendo tudo que eu estou com vontade de comer agora. Desaparecer para dentro de uma garrafa.





O atendimento ao cliente no Brasil é impressionante. Paguei minha fatura do Matrix e mandei comprovante pelo fax, como eles pediram. Há dois dias, no entanto, minha caixa de mensagens está bloqueada. Não posso trabalhar, já que o email é fundamental pra mim. Liguei pra lá e eles me disseram que existe uma pilha de comprovantes de pagamento e deve demorar até chegar na minha vez. Mas não tinha que ser uma coisa automática? Argh. Olha que nem estou de mau humor, embora meus últimos posts dêem essa impressão. Mas certas coisas não irritam?


Hoje me alimentei só de nozes.

Sexta, meio-dia Mais dois copos. Deve haver uma explicação para um troço desses. Sobrenatural, eu digo.


sopro, golpe...


comente aqui


on-line







Rio de Janeiro


Desde abril de 2001



PicoSearch






Marina/Female/40-44. Lives in Brazil/Rio de Janeiro/Lagoa and speaks Portuguese. Spends 20% of daytime online. Uses a fast (128k-512k) connection.





English




Minhas coisas

cronicas
tiquetes de viagem
jogo do curriculo
multi-uso
fotolog




This page is powered by Blogger.
 
Why isn't yours?


Arredores
   > | ? | #